Zé Neto é acusado de homofobia após imitar gays em live sertaneja

0
103
Zé Neto é acusado de homofobia após imitar gays em live sertaneja (Foto: Reprodução/Divulgação)
Zé Neto é acusado de homofobia após imitar gays em live sertaneja (Foto: Reprodução/Divulgação)

Cantor sertanejo Zé Neto fez gestos imitando homossexuais durante a live e causou revolta nas redes sendo acusado de promover homofobia

O meio sertanejo ainda tem um longo caminho a percorrer em busca de desconstrução em um mundo que precisa de mais empatia e menos preconceito. Por muitas vezes, polêmicas envolvendo cantores da música sertaneja como Rodolffo, que fez comentários desnecessários e que renderam muitas críticas no BBB 21, vem à tona e agora, foi a vez de Zé Neto desrespeitar a comunidade LGBT, gerando revolta.

Durante a live sertaneja de Zé Neto e Cristiano do último sábado (05), a dupla recebeu dos patrocinadores a camiseta oficial do time de futebol São Paulo FC. Zé Neto é palmeirense assumido, mas precisou vestir a camiseta do time Tricolor por ter perdido uma aposta durante a apresentação, no entanto, o sertanejo usou gestos de um estereótipo homossexual afeminado, já que os torcedores são paulinos são apelidados pejorativamente de “bambi” pelas torcidas adversárias.

Assuntos Relacionados 

Acontece que o aparente desrespeito de uma figura pública a essa comunidade historicamente perseguida e marginalizada não tem espaço em um país que violenta absurdamente gays, lésbicas, bissexuais e transgênero. Um exemplo claro disso foi a exposição de um caso recente de uma tortura inimaginável a um homem gay, que foi agredido na região central de Florianópolis (SC) e teve o corpo tatuado em muitos lugares com a palavra “viado”. A vítima de 22 anos ainda sofreu um estupro coletivo e está internado em estado grave.

“Mais um dia de violência no país que mais mata homo e transexuais no mundo. Essa violência que cresce assustadoramente com o incentivo de algumas igrejas, do presidente da República, de alguns prefeitos, governadores e parlamentares”, relatou a advogada Margareth Hernandes, presidenta da Comissão de Diversidade Sexual e Gênero da OAB Santa Catarina.

De encontro à isso, o gesto de Zé Neto serve como um desvio da seriedade desse preconceito que mata cidadãos com uma única motivação: a homofobia. Velada ou exposta, o crime que está previsto em lei no Brasil não deve ser motivo de piada em nenhum âmbito que seja; no futebol, na música ou no cotidiano. O cancelamento não é uma via de saída para isso mas é urgente que os sertanejos possam entender melhor as causas relevantes a fim de influenciar positivamente a sociedade e ajudar a sanar esse desrespeito contínuo com minorias sociais.

Audiência de live de Zé Neto e Cristiano fica abaixo do esperado

(Foto: Reprodução Internet)
(Foto: Reprodução Internet)

Com um cenário praiano no parque aquático Hot Beach em Olímpia (SP), a audiência da live sertaneja de Zé Neto e Cristiano ficou abaixo do esperado. Diferente desta exibição, os sertanejos geraram polêmicas em sua primeira transmissão ao vivo quando mandaram recado para Chrystian e Ralf que criticaram o sertanejo universitário. Porém, com uma live bem mais tranquila e animada, os artistas levantaram o astral da audiência mas não alcançaram a mesma visualização do show de abril que chegou a mais de 430 mil views.

Com um repertório de músicas bem nostálgico relembrando os grandes sucessos da música sertaneja, a transmissão prometeu trazer alegria para os telespectadores que assistiam diretamente de suas casas e foi devidamente cumprida. Nas redes sociais, os fãs foram à loucura com um personagem que roubou a cena: um mini boneco ET laranja que usou um boné com os dizeres “o pai ta on” durante a exibição.

A transmissão ao vivo que aconteceu no YouTube atingiu um pico de audiência de 269 mil acessos simultâneos. Durante a live, Zé Neto e Cristiano ganharam uma camiseta do time oficial do São Paulo e aproveitaram cantando os grandes sucessos da carreira como “Largado às Traças” e “Alô, Ambev”.