Tânia Mara fala sobre o machismo na música sertaneja

0

Tânia Mara foi convida para conversar com Luciana Gimenez no programa desta terça-feira (19).

Durante entrevista à Luciana Gimenez, Tânia Mara falou sobre o início da sua trajetória na música sertaneja e também sobre o relacionamento com Jayme Monjardim. “Foi engraçado. Eu não sabia quem era o Jayme. Lógico que você vê o nome dele e associa ‘diretor‘, mas eu não imaginava que ele fosse tão lindo e que eu iria me apaixonar”, diz a mãe da pequena Maysa, fruto de sua união de 10 anos com o diretor de tv e cinema. A diferença de 27 anos de idade entre os dois, segundo Tânia, nunca foi um problema para o casal: “Ele é muito jovem e eu sou muito madura para minha idade. Acho que, na verdade, a velha sou eu“.

Sobre seu retorno à música sertaneja, a cantora relembrou o preconceito que as mulheres que representavam o gênero enfrentaram no passado: “Lancei meu primeiro CD em 2000 e a ideia era totalmente sertaneja, mas sempre foi muito difícil, o mercado era muito masculino. Poucas mulheres conseguiram quebrar essa barreira dentro do sertanejo, então achei que estava remando contra a maré. Só que chegou uma hora em que falei: ‘quer saber? Vou mudar tudo’. (…) Acordei um dia, pintei o cabelo de preto e fui tocar rock nos barzinhos de São Paulo“.

Nascida na capital federal, Tânia se emociona ao comentar sobre a mudança para São Paulo e a dificuldade em busca de emprego. Aos 16 anos conseguiu uma vaga no programa Fantasia, do SBT. “Meu pai vendeu tudo em Brasília, colocamos todas as coisas em um caminhão e viemos. Ficamos sabendo de um teste na emissora e minha mãe disse que seria para cantora. Ensaiei, fiquei super animada, mas o teste era para bailarina. Quando chegou minha vez eu falei: ‘olha, não sou bailarina, na verdade sou cantora. Minha mãe mentiu para mim’ e [os diretores] falaram: ‘então canta’. Cantei, saí e minha mãe estava sentada naqueles corredores, rezando“, relembra.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.