Simone Mendes confronta racismo após incidente de “Blackface”

A participação da cantora sertaneja Simone Mendes no programa “Hora do Faro” é cancelada após decisão de simular “blackface”

A cantora Simone Mendes, 38, encontrou-se no meio de uma tempestade de controvérsia após a sua recente aparição no programa Hora do Faro“, apresentado por Rodrigo Faro. Uma cena em que a cantora parece praticar “blackface” foi gravada para o programa, que deveria ir ao ar no Dia das Mães (14/05), porém, o quadro foi excluído devido a preocupações com a repercussão negativa.

A decisão de realizar o “blackface” teria sido sugerida pela equipe de produção do próprio Rodrigo Faro. Apesar disso, a reação adversa e o temor da repercussão levaram a equipe de Simone a pedir que as imagens não fossem exibidas.

O incidente ocorreu durante a gravação do quadro “Funcionário Famoso“, onde celebridades assumem um novo emprego para surpreender fãs, trabalhando incógnitas com eles. No caso de Simone, ela se disfarçou como organizadora de eventos, utilizando uma peruca e maquiagem mais escura que o seu tom de pele.

A gravação completa deste segmento foi descartada e, segundo o portal “Na Telinha”, Faro e Simone planejam reagendar uma nova gravação. A decisão de não transmitir o quadro resultou na substituição por um segmento de Dia das Mães gravado em 2019.

A repercussão foi grande nas redes sociais após a exposição do incidente. A Record TV! e Rodrigo Faro receberam duras críticas por parte dos internautas. Um usuário comentou: “Mais um blackface do Rodrigo Faro”; outro afirmou: “Definitivamente tem que ter muita falta de noção e ser racista assumido pra fazer black face em 2023 viu…”.

Em meio à polêmica, cabe mencionar que esta não é a primeira vez que o programa “Hora do Faro” é criticado por praticar “blackface”. Em 2017, Faro e a cantora Joelma foram duramente criticados por pintarem o rosto de preto e usarem perucas afro, numa tentativa de homenagear o cantor Michael Jackson.

Esta série de eventos evidencia a necessidade urgente de consciência e educação em torno das questões raciais e da história dolorosa associada ao “blackface”. A repercussão deste caso serve como um lembrete da responsabilidade social que personalidades e programas de TV detêm, e do impacto potencialmente danoso que suas ações podem ter sobre as comunidades marginalizadas.