URGENTE: Sérgio Reis pode ser preso após atacar senadores e ministros do STF e pedir intervenção militar

O cantor sertanejo Sérgio Reis atacou a democracia e, após exigir intervenção militar, pode acabar atrás das grades, de acordo com o site Em OFF

Após revelar que pode se candidatar na política em 2022, o cantor sertanejo Sérgio Reis tem gerado muita polêmica nos últimos dias após fazer um vídeo convocando seus fãs e caminhoneiros para uma manifestação em prol do presidente Jair Bolsonaro no próximo dia 7 de setembro, inclusive pedindo intervenção militar junto ao presidente.

Acontece que agora, de acordo com o site Em OFF, Sérgio Reis teve um suposto áudio vazado pelo perfil de Vladimir Aras no Twitter e a polêmica estourou devido às ameaças que ele faz a senadores e ministros do SFT (Supremo Tribunal Federal):

“Ambulância, polícia, bombeiro, uma emergência, somente isso, mais ninguém. Vai parar o país! Enquanto o senado não tomar essa posição que nós mandamos fazer, nós vamos ficar em Brasília e não vamos sair de lá até isso acontecer. Uma semana, dez dias, um mês e os caras bancando tudo, hotel e tudo, não gasta um tostão”, disparou em um trecho.

Assuntos Relacionados

“E se em 30 dias não tirarem aqueles caras, nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra, pronto! É isso que você quer saber, é assim que vai ser e pronto. E a coisa tá séria, vou planejas algumas coisas pra vocês aí”, disparou Sérgio Reis no suposto áudio. Ouça:

Ainda, segundo o site Em OFF apurou, os ministros do STF já tomaram conhecimento desses áudios de Sérgio Reis e inclusive podem entrar com um pedido de prisão do cantor sertanejo a qualquer momento. Tal áudio configura como crime à democracia e pode acarretar em sérias consequências ao cantor sertanejo.

Sertanejo pode se candidatar à política em 2022

(Foto: Reprodução/Internet)
(Foto: Reprodução/Internet)

O sertanejo que deu detalhes das gravações de sua participação da novela Pantanal, Sérgio Reis esteve em entrevista e fez grandes revelações sobre seus projetos futuros. Após mandar ameaças a João Dória e o falecido Bruno Covas, o sertanejo revelou que pretende voltar à política em 2022.

Em entrevista a Folha de Pernambuco, Sérgio Reis se dedica ao lançamento do seu novo álbum que conta com grandes sucessos e parcerias. Uma delas é com Zé Ramalho em “Admirável Gado Novo”. Em contrapartida, o sertanejo pretende voltar às eleições de 2022 como deputado federal e que seu principal foco é a área da saúde: “Eu quero saber deles [prefeitos] como está a ambulância da cidade, o posto de saúde, só quero saber disso. Eu sei que a saúde é carente no Brasil, você está vendo agora”, contou.

Em outro momento, Sérgio Reis também contou como tem vivido durante a pandemia: “Aqui é grande, tenho mata, tenho um lugar que fiz para pôr comida para os papagaios, para os saguis virem comer aqui na minha mão. Ficar assim é bom, o duro é esse povo que fica em apartamentinho com duas, três crianças”, comentou. E abriu o coração: “Está todo o mundo morrendo de fome. O negócio é esse.”

O sertanejo também comentou sobre o seu apoio a Bolsonaro e que assim como ele, o presidente fala o que pensa: “Ele é como eu, italiano, malcriado e fala o que tem que falar.”, desabafou. Ao final da entrevista, Sérgio Reis abriu o jogo sobre o governo de Lula e que disse não acreditar nas pesquisas que apontam as intenções de voto que em sua totalidade, tem o petista à frente.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais