Sérgio Reis recebeu mais de R$100 mil para ser garoto propaganda do governo paranaense, diz deputado

Após questionamentos feitos ao estado do Paraná, foi revelado que Sérgio Reis ganhou uma bolada para exaltar feitos da gestão de Ratinho Jr.

O cantor e compositor do sertanejo, Sérgio Reis, já deixou bem claro seu apoio ao bolsonarismo e chegou a fazer declarações radicais que podem inclusive levá-lo a ser preso por atentar contra a Democracia. Fato é que o filho do apresentador Ratinho, que governa o estado do Paraná, fez uso do engajamento e da imagem do sertanejo e o recompensou para a realização de duas campanhas publicitárias.

Ratinho Jr., que governa seguindo as mesmas ideologias de Jair Bolsonaro, pagou R$66 mil para Sérgio Reis dar cara e voz à propaganda “Certificação Internacional Livre de Febre Aftosa” e R$60 mil para que o sertanejo fizesse a campanha intitulada “Paraná Trifásico” e que foi paga pela estatal Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Assuntos Relacionados

As informações vieram à público através da Carta Capital e foram obtidas pelo deputado estadual Goura Nataraj (PDT-PR), que pediu esclarecimentos em julho deste ano. Embora seus posicionamentos polêmicos tenham vindo à tona há poucos dias, o alinhamento com políticas bolsonaristas, como é o caso da gestão de Ratinho Jr no estado do Paraná, reflete a tentativa de causar boa impressão da administração pública utilizando a imagem do sertanejo.

“O que ocorreu foi que o cantor Sérgio Reis fez essas propagandas para dar a impressão de que o governo está fazendo maravilhas, quando não está, e agora fica explícito que ele é o porta-voz de tentativas absurdas de um golpe e de ameaças ao STF. Assim como ele se coloca como garoto propaganda do estado, o governador Ratinho se coloca como um garoto propaganda do bolsonarismo”, afirmou o deputado Nataraj.

A adesão à ideologias propagadas por Bolsonaro fez com que Ratinho Jr. não se juntasse, por exemplo, a outros governadores para cobrar vacinas e se calou em prol do negacionismo científico. Além disso, o filho do apresentador do SBT foi responsável por militarizar mais de 200 escolas estaduais no Paraná e concordava com a política ambiental de Ricardo Salles.

“Esse alinhamento ele existe a gente tem visto em várias esferas. (…) A gente vê essa aproximação desde o início do mandato dos dois. Ratinho, por exemplo, foi o único governador que acompanhou Bolsonaro em uma comitiva nos Estados Unidos”, destacou o deputado. É nesse sentido que os discursos morais exaltados por Sérgio Reis o motivam a  vender sua imagem e ainda, a ideia de que as gestões bolsonaristas são eficientes à medida em que fatura boladas, como os R$126 mil que conseguiu embolsar em apenas duas campanhas.

Sérgio Reis sofre com depressão profunda após ser ameaçado de prisão

(Foto: Reprodução/Internet)
(Foto: Reprodução/Internet)

O cantor e compositor veterano do sertanejo Sérgio Reis cogita entrar para a política em 2022 e recentemente, se envolveu em uma grande polêmica ao atacar ministros do STF e pedir intervenção militar no país. A declaração que pode ser enquadrada como crime contra a Democracia gerou revolta no cenário político e, com a repercussão negativa de um áudio vazado em que o sertanejo faz ameaças a políticos, a esposa do artista afirma que ele está depressivo.

O desabafo de Angela Bavini que afirmou que o marido foi mal interpretado foi divulgado pela jornalista Mônica Bergamo. Com 81 anos, Sérgio Reis convocou bolsonaristas para uma grande manifestação em prol do fechamento do Congresso mas, segundo sua esposa ele só “quer ajudar a população”. A esposa do sertanejo fez um apelo durante entrevista e revelou que Sérgio está sofrendo com ataques na internet e sofrendo com graves problemas de saúde.

“Ele está muito triste e depressivo porque foi mal interpretado. Ele quer apenas ajudar a população. […] Ele é querido e amado pelo Brasil inteiro, de direita, de esquerda. […] Está magoado demais. […] A diabetes dele subiu que é uma barbaridade por causa do estresse”, revelou para a Folha de São Paulo.

As declarações de Sérgio Reis, apoiador de Jair Bolsonaro, aconteceram em meio à uma briga entre os Poderes, já que o Presidente anunciou que pretende processar os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso alegando que eles “extrapolam com os limites constitucionais”. 

Na última semana, Moraes deu ordem de prisão para o Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, que também é apoiador de Bolsonaro e fez ataques às Instituições Democráticas. É nesse sentido que se torna possível uma futura prisão de Sérgio Reis, que chegou a afirmar que Brasília seria tomada no dia 7 de setembro.