Sem Juliette, Luan Santana faz sua estreia na Sony Music com “Morena”

0
23
Sem Juliette, Luan Santana faz sua estreia na Sony Music com
Sem Juliette, Luan Santana faz sua estreia na Sony Music com "Morena" (Foto: Bruno Fioravanti)

Luan Santana lança “Morena“, o aguardado single de estreia pela Sony Music, após divulgação pesada nas redes sociais e promessa de cenas de ação e romance

O cantor sertanejo Luan Santana está lançando o tão aguardado single de estreia pela Sony Music, “Morena”. A previsão é que a música esteja disponível em todas as plataformas digitais às 21 horas de quinta-feira (17), enquanto o videoclipe deve estrear ao meio-dia de sexta-feira (18), no canal do cantor no YouTube.

– Clique aqui para receber as últimas notícias do Movimento Country no Messenger

Com uma divulgação massiva nas redes sociais, o cantor sertanejo assume uma fase popstar, mirando no mercado internacional, para onde foca sua carreira após construir um império no sertanejo nacional. A surpresa da vez é a recusa da vencedora do Big Brother Brasil 21, Juliette, para estrelar o videoclipe.

Os especialistas em música Enio Silvério e Reinaldo Barriga, no podcast EnterHits, comentaram o mais novo lançamento musical de Luan Santana e a recusa de Juliette para participar do videoclipe, que foi gravado nas ruas de São Paulo, sendo substituída pela bela modelo e DJ internacional Natalia Barulich.

Assuntos Relacionados

“A produção é digna de cinema, e o videoclipe traz Luan Santana como um detetive policial que tem um caso de amor com uma colega de trabalho, mas uma contagem regressiva dita uma série de ações desde o dia 9 nas redes sociais do cantor, com direito a participação dos fãs e encenações em seus stories”, disse Enio Silvério.

O especialista acredita que “isso já seja uma estratégia da Sony Music para apresentá-lo ao mercado internacional. (…) O público consumidor hispânico gosta muito desse enredo, de drama, policial. Eu acredito que a gravadora já está mirando neste público, lembrando que, recentemente, o Luan Santana ficou um tempo no México, fazendo uma pesquisa musical por lá”.

Por outro lado, o especialista faz um alerta a Luan Santana e aos gestores de sua carreira: “Eles devem tomar muito cuidado porque o Luan ficar muito tempo cuidando da carreira internacional e esquecer do mercado aqui dentro, quando ele voltar, talvez ele não tenha esse público. (…) Por favor, não deixem o Luan Santana muito tempo lá fora, porque pode ser tarde a hora que ele voltar”.

Zé Vaqueiro pode desbancar Luan Santana no mercado nacional

(Foto: Reprodução/Divulgação)
(Foto: Reprodução/Divulgação)

Enio Silvério chamou a atenção para o fato de que artistas novos despontam no mercado musical brasileiro todos os dias e, nesse contexto, o cantor Zé Vaqueiro poderia ser o substituto de Luan Santana e herdar os corações de fãs adolescentes, já que tem forte apelo com esse público.

Vale lembrar que Zé Vaqueiro, que está em plena ascensão, foi recentemente contratado pela gravadora Sony Music, mesma gravadora de Luan, e é detentor de números impressionantes de visualizações de suas músicas no YouTube,

Questionado por Reinaldo Barriga qual seria o melhor caminho para Luan Santana, Enio sugere que o sertanejo compre uma passagem para Miami e outra para Fortaleza, para “Lá fazer uma reserva de mercado e ele ter uma opção de palco para cantar num futuro que englobe todo o Brasil, principalmente o Nordeste”, disparou.

Sobre Enio Silvério: Radialista e comunicador desde os 17 anos. Dirigiu as maiores emissoras de rádio do Brasil, como a Transamérica, em Curitiba, Rádio 100 (CE), Rádio Cidade (RJ), Rádio Cidade (BA) a Rádio Cidade (SP) e Tupi FM (SP) que se tornaram líderes absolutas de audiência sob sua direção. Foi o responsável direto para o sucesso em todo o país dos segmentos Axé Music e Sertanejo Universitário.

Sobre Reinaldo Barriga: Um dos maiores compositores, músicos e produtores musicais do Brasil. Já assinou trabalhos de grandes artistas como Capital Inicial, Engenheiros do Hawaii, Lulu Santos, Nenhum de Nós, Camisa de Vênus, Chrystian e Ralf e recebeu dois Grammys Latino pela sua produção dos álbuns “Vida Marvada” e “Grandes Clássicos Sertanejos acústico II” da dupla Chitãozinho e Xororó.