Poladian revela os pedidos mais excêntricos que recebeu dos artistas nos camarins

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Em entrevista ao podcast EnterHits, Manoel Poladian revela os pedidos mais excêntricos que recebeu de artistas nacionais e internacionais

Após contar a situação inusitada que viveu ao lado de Elis Regina ao tirar Rita Lee da cadeia, o empresário Manoel Poladian, conhecido por trabalhar com artistas de renome, como Gilberto Gil e Sting, revelou, em entrevista exclusiva ao podcast EnterHits, os pedidos mais inusitados que recebeu de artistas nacionais e internacionais.

– Clique aqui para receber as últimas notícias do Movimento Country no Messenger

Sob o comando de Enio Silvério e Reinaldo Barriga, a entrevista com Manoel Poladian trouxe extensa variedade de assuntos relacionados ao seu trabalho produtor de grandes eventos musicais e empresário do show business. Questionado pelos entrevistadores a respeito dos pedidos mais inusitados que já recebeu dos artistas, tanto nacionais quanto internacionais, Poladian disparou:

“Na verdade, é igual a esse contrato dos 200 shows do Gusttavo Lima. Como a gente não tinha notícia para dar, a gente multiplicava as toalhas, inventava alguns TOCs (transtorno obsessivo compulsivo) para sair notícia, para desenvolver, para estar sempre presente na mídia”.

Enio, então, pergunta ao empresário se a maior parte dessa fama de exigências dos artistas é, na verdade, uma invenção para a aparecer mais na mídia e promover o show, ao que responde Poladian: “Claro! Para promover os shows se inventava tudo! Existem muitas histórias que estou tentando rememorar para colocar no livro, que a gente teve que inventar para poder estar na mídia”, referindo-se ao livro que pretende lançar em breve.

O entrevistador insiste perguntando a Poladian sobre algum pedido incomum que algum artista tenha feito nos bastidores e, quanto a isso, Poladian diz: “Todos os artistas são artistas, sem exceção. Eles todos, com uma explicação profissional, porque os artistas quando não são profissionais são mais difíceis de serem administrados, eles são confusos. Então, o que eu acho é que todos os artistas têm pedidos; alguns são aceitáveis e outros não, basta o empresário explicar e pedir um tempo para poder atender”. 

Assuntos Relacionados

“Então claro que tem que atender ao pedido do artista, se for normal, tem que atender correndo, seja qual for, sendo bom para o espetáculo, sim! Se for outra coisa, se for pedir droga, vai procurar na rua, porque eu não vou atender, de verdade. Eu não fumo, não bebo e respeito o público. Mas não sou contra quem fuma, bebe e faz o que bem entender, cada um é cada um”, dispara Poladian.

Assista ao trecho do vídeo da entrevista com Manoel Poladian:

Manoel Poladian opina sobre sertanejos: “Blefam muito!”

(Foto: Arte EnterHits)
(Foto: Arte EnterHits)

Parece que o blefe existe no mercado do show business não apenas no que se refere aos pedidos excêntricos de artistas nacionais e internacionais. Após Gusttavo Lima anunciar a  venda de quase 200 shows de 2022 por R$ 100 milhões, Manoel Poladian disse que os cantores sertanejos blefam muito e contam histórias irreais para se manter na mídia.

O empresário e produtor de eventos duvidou da compra dos shows do sertanejo por um fundo de participações, afirmando que esse tipo de investidor não costuma ter interesse profissional nesse tipo de transação, o que reforçaria a falta de profissionalismo do meio musical brasileiro.

Além disso, Poladian disparou que, hoje em dia, há muito blefe no mercado, e que é comum artistas realizarem ações e inventarem patrocínios para poderem obter destaque na imprensa e na mídia de modo geral.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais