Início Notícias Sertanejas Leonardo é absolvido em processo milionário envolvendo a música “Pense em Mim”

Leonardo é absolvido em processo milionário envolvendo a música “Pense em Mim”

0
16
Leonardo é absolvido de processo milionário (Foto: Divulgação)
Leonardo é absolvido de processo milionário (Foto: Divulgação)

O cantor Leonardo levou a melhor após ser processado por um compositor que pedia os direitos da música “Pense em Mim” e o acusava de humilhação

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

cantor sertanejo Leonardo fez dupla com seu irmão Leandro até 1998, quando ele foi vítima de um câncer raro e parou o Brasil com uma despedida emocionante. No entanto, uma música da dupla sertaneja lançada em 1990 era alvo de um processo judicial por um compositor, que pedia seus direitos sob a composição. Trata-se do sucesso “Pense em Mim“.

O compositor Mario Soares, um dos autores de “Pense em Mim”, estava processando Leonardo por danos morais e alegava que Leandro e Leonardo gravaram a música sem a sua autorização prévia, além de não ter dado a remuneração devida pelos seus direitos autorais.

A música foi composta em 1985 e se chamava originalmente “Com Destino à Felicidade” e o compositor alega que Leonardo e outras pessoas do ramo artístico o pressionaram para ceder os direitos, o que acabou acontecendo. No entanto, como diz no processo, Mario acabou recebendo uma baixa remuneração pela música ao longo dos anos.

O compositor alegava também que era constantemente humilhado por Leonardo: “Sempre que se encontram, Leonardo pede o número de sua conta bancária, fazendo alusão de que está milionário e que Mário merece uma caixinha”, o advogado Alexandre Teixeira Moreira, que representa Mário Soares no processo.

No processo, Leonardo alegou por meio de seus advogados que é apenas o intérprete de “Pense em Mim” e que os direitos foram adquiridos pela gravadora e editora: “No que tange aos direitos autorais, nada tem [o compositor] a reclamar com Leonardo, visto que ele não participou das tratativas e muito menos firmou qualquer contrato que determinou as remunerações”. Além disso, o cantor sertanejo negou qualquer humilhação ao compositor, que é o motivo do processo também por danos morais.

Agora, após anos de batalha na Justiça, o juiz Artur Martinho de Oliveira Júnior decidiu pelo absorvimento de Leonardo e alegou que o cantor sertanejo não pode ser responsabilizado pelo pagamento dos direitos autorais, já que isso não é o seu trabalho como intérprete: “Ele é parte ilegítima do processo”. As informações são do Portal UOL.

Leonardo encerra “Cabaré” e prepara projeto com Zé Felipe

Desde a morte de Leandro, Leonardo seguiu carreira solo e se envolveu em alguns projetos, como o “Cabaré” ao lado de Eduardo Costaque acabou após várias polêmicas. Agora seguindo o legado do projeto com Bruno e Marrone, Leonardo passou por uma situação complicada na última semana, quando Bruno surgiu excitado em show dançando com Bailarina

No entanto, o Movimento Country descobriu, em conversa com uma fonte próxima a Leonardo, que o cantor já estaria com planos de acabar com o “Cabaré” agora em 2022, assim que o cruzeiro ao lado da dupla chegasse ao fim.

Apesar das polêmicas recentes incendiarem a vontade de Leonardo, o cantor tem um motivo para querer ‘abandonar’ o projeto criado por Eduardo Costa: ele está planejando um projeto junto com o seu filho Zé Felipe para 2023 que, segundo a fonte nos informou, deverá se chamar “Gerações“.

A ideia é de trazer pai e filho no mesmo trabalho, e possivelmente sair em uma turnê conjunta. Com a explosão de Zé Felipe nos últimos anos, na qual ele se tornou um dos maiores hitmakers do Brasil, Leonardo terá muito conteúdo interessante para o seu projeto que certamente atingirá pessoas de todas as idades, já que o público do filho é mais jovem.

Dessa forma, Leonardo e Zé Felipe estão estudando a possibilidade de tocar o projeto adiante com seriedade. Para isso, pai e filho terão que conciliar sua agenda de trabalho, shows e os projetos solo, já que hoje o marido de Virgínia Fonseca é um dos artistas mais requisitados do Brasil, tanto no âmbito de parcerias quanto dos contratantes, que disputam sua agenda incessantemente.