Gusttavo Lima vira alvo do Conar e tem propaganda de bebida suspensa

2.475

As propagandas do ‘Vermelhão‘, marca de bebida do cantor Gusttavo Lima, foram alvo do Conar, que recomendou a suspensão dos comerciais

O nome de Gusttavo Lima segue em alta nas polêmicas nesta semana após o Ministério Público pedir o cancelamento de um show em Roraima, que teria um cachê avaliado em R$ 800 mil e obras na cidade avaliadas em R$ 40 milhões para receber o cantor sertanejo. Agora quem entrou com ação contra o Embaixador foi o Conar, devido às propagandas de sua marca de bebidas.

Segundo informações do UOL, o Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) está pedindo a suspenção de 2 peças publicitárias (comerciais) do ‘Vermelhão‘, bebida do Gusttavo Lima lançada em abril deste ano e que faz o maior sucesso na internet. O cantor sertanejo e a fabricante Better Drinks receberam uma advertência por causa da ação “Chama o vermelhão, bebê”.

O motivo para a advertência é claro: como o produto se enquadra ao público maior de idade por ter teor alcoólico, as propagandas devem seguir algumas regras específicas, principalmente por causa de sua distribuição a crianças e adolescentes.

Dessa forma, Gusttavo Lima foi notificado pelo Conar por não acrescentar em suas propagandas o aviso de idade mínima para a ingestão de bebidas. O Conselho também aponta que o cantor sertanejo supostamente teria estimulado o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

O cantor sertanejo e a fabricante acataram os pedidos, sem nenhuma contestação, e alegaram que suspenderam as campanhas ou alteraram as peças publicitárias para o modo recomendado.

MP pede o cancelamento do show do Embaixador em Roraima

(Foto: Reprodução Instagram)
(Foto: Reprodução Instagram)

Ostentando o maior cachê sertanejo da atualidade, Gusttavo Lima fechou um contrato com a prefeitura da cidade para um show em dezembro. O valor do cachê, de R$ 800 mil, preocupa o Ministério Público de Roraima, já que o PIB do município de 8 mil habitantes é o segundo menor do estado.

Além do cantor sertanejo, estão previstos shows de César Menotti e Fabiano (R$ 150 mil) e Solange Almeida (R$ 108 mil), o que dá o total de R$ 1,05 milhão em gastos da prefeitura apenas com os cachês dos cantores.

Segundo informações do g1, o promotor Joaquim Eduardo dos Santos relata que o gasto da prefeitura com o valor milionário “não trará qualquer benefício à população, pelo contrário, o município terá a situação financeira agravada ainda mais e os serviços básicos serão privados de uma verba que poderia ajudar a melhoria da situação da população.”

O prefeito de São Luiz, por sua vez, defende a contratação de Gusttavo Lima e os outros sertanejos e destaca o fluxo econômico e turismo que as atrações trarão para a cidade, especialmente nos restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis e vendedores autônomos.

Por outro lado, o Ministério Público diz que a cidade tem melhorias para serem feitas na saúde e abastecimento de água, e que os gastos exorbitantes com o evento poderiam ser usados em outras áreas. A solicitação de cancelamento foi enviada à Justiça e deve ser analisada nas próximas semanas.