EXCLUSIVO: Eletricista processa Gusttavo Lima em R$ 48 mil após ter número divulgado em música

1.459

Um dos maiores sucessos do Gusttavo Lima tem tirado o sono do cantor sertanejo, uma vez que vem rendendo vários processos para sua conta

A música “Bloqueado” foi um mega sucesso e trouxe ótimas conquistas para Gusttavo Lima, mas também grandes dores de cabeça e uma série de processos judiciais. O motivo para isso é o número de telefone divulgado na música, que tem perturbado muitas pessoas com ligações e mensagens de fãs do cantor sertanejo todos os dias. Uma dessas vítimas é um eletricista de Florianópolis, em Santa Catarina, que processou o Embaixador e o Movimento Country teve acesso exclusivo aos autos do processo.

Conforme comprovado nos documentos enviados pelos seus advogados, o eletricista trabalha como autônomo e recebe frequentemente mensagens e ligações de clientes solicitando seus serviços. No entanto, com o lançamento da música de Gusttavo Lima tudo mudou, já que ele “passou a receber uma enxurrada de ligações e mensagens via WhatsApp de fãs do cantor, interrompendo totalmente sua privacidade, intimidade e, principalmente, prejudicando sua vida profissional”, conforme diz trecho do processo.

Dessa forma, o eletricista passou a desligar seu celular devido aos incômodos incessantes, o que acabou o impedindo de atender seus clientes. Ao todo, mais de 600 pessoas mandaram mensagens para seu número, o que fez com que o eletricista procurasse a Justiça. Agora ele pede uma indenização de R$48.480,00 por danos morais, além da retirada do número de telefone da música “Bloqueado”.

A defesa do cantor apresentou uma contestação na Justiça pedindo que Gusttavo Lima seja retirado do processo, uma vez que ele é somente intérprete e não compositor dos versos que trazem o número de telefone. Os advogados ainda alegam que os prints de chamadas e mensagens apresentadas não se configuram como provas perante a Justiça por serem passíveis de manipulação.

Além desses argumentos, a defesa do cantor sertanejo declara que o “recebimento de uma ligação e algumas mensagens, por si só, não é causa suficiente para o recebimento de danos morais” e que “somente configura dano moral a dor, angústia e humilhação de grau intenso e anormal”.

Por fim, os advogados pedem indenização de, no máximo, R$ 10 mil para Gusttavo Lima. O processo corre na Justiça e deve ganhar novos desdobramentos em breve.

Cantor sertanejo tem outro enrosco na Justiça, mas dessa vez com o Conar

(Foto: Reprodução/Internet)
(Foto: Reprodução/Internet)

Segundo informações do UOL, o Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) está pedindo a suspenção de 2 peças publicitárias (comerciais) do ‘Vermelhão‘, bebida do Gusttavo Lima lançada em abril deste ano e que faz o maior sucesso na internet. O cantor sertanejo e a fabricante Better Drinks receberam uma advertência por causa da ação “Chama o vermelhão, bebê”.

O motivo para a advertência é claro: como o produto se enquadra ao público maior de idade por ter teor alcoólico, as propagandas devem seguir algumas regras específicas, principalmente por causa de sua distribuição a crianças e adolescentes.

Dessa forma, Gusttavo Lima foi notificado pelo Conar por não acrescentar em suas propagandas o aviso de idade mínima para a ingestão de bebidas. O Conselho também aponta que o cantor sertanejo supostamente teria estimulado o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

O cantor sertanejo e a fabricante acataram os pedidos, sem nenhuma contestação, e alegaram que suspenderam as campanhas ou alteraram as peças publicitárias para o modo recomendado.