Justiça cancela show de dupla sertaneja no Acre com cachê de mais de R$ 300 mil

280

A dupla sertaneja João Bosco e Vinícius receberia R$ 319 mil por um show no interior do Acre, mas a Justiça interviu e determinou o cancelamento

Embora há anos não emplaquem nenhum sucesso entre as mais tocadas das paradas, a dupla sertaneja João Bosco e Vinícius ainda está com tudo em sua carreira musical e ostenta cachês sertanejos caríssimos por onde passa com a sua agenda de shows. Inclusive, o valor da apresentação foi o motivo de uma perseguição da Justiça até o cancelamento de um show na cidade de Feijó, no interior do Acre.

A apresentação estava marcada para o próximo domingo (14), na 23ª edição do Festival do Açaí, e João Bosco e Vinícius receberiam R$ 319 mil de cachê, que seria pago pela prefeitura da cidade, mas a polêmica vem desde o mês de julho.

Na ocasião, o Ministério Público do Acre pediu que fossem cancelados os shows dos cantores Tierry e Zezo, já que a própria prefeitura iria pagar seus cachês, avaliados em R$ 215 mil e R$ 100 mil, respectivamente. No caso de João Bosco e Vinícius, o cachê de R$ 319 mil seria pago em um convênio com o Estado.

Logo após a ação do MP, o método de pagamento foi invertido: enquanto os shows de Tierry e Zezo seriam pagos com a verba do convênio, a prefeitura iria arcar com os gastos da dupla sertaneja. No entanto, o MP entrou com uma nova ação em tutela de emergência para impedir que a prefeitura gaste mais de R$ 300 mil apenas com João Bosco e Vinícius, já que a cidade precisa de melhorias em sua infraestrutura:

“Pavimentação de vias públicas, a melhoria dos serviços de saúde, de educação, de saneamento básico, a conclusão de obras inacabadas, a melhoria da qualidade na distribuição de merenda escolar, dentre outros, sendo que a realização do excessivo gasto com o show estaria em desacordo com os princípios da moralidade, da eficiência e da razoabilidade”, diz no processo.

A tutela foi concedida pelo juiz Marcos Rafael Maciel de Souza e o show da dupla sertaneja foi cancelado, além da decisão de que o município se “abstenha de efetuar quaisquer pagamentos/transferências financeiras decorrentes do contrato estabelecido para a contratação dos artistas mencionados, sob pena de incidência de uma multa única no valor do dobro do contrato celebrado, em caso de descumprimento, incidindo a multa pessoalmente ao prefeito Feijó”.

Prefeito da cidade recorre da decisão para tentar manter o show

(Foto: Reprodução/Internet)
(Foto: Reprodução/Internet)

Em entrevista ao portal g1, o prefeito da cidade Kiefer Cavalcante afirmou que está recorrendo da decisão, já que, segundo ele, os shows trarão retornos financeiros e estimularão o turismo na pequena cidade de Feijó.

A Justiça autorizou ainda que, caso a prefeitura teime e fazer a realização do show da dupla sertaneja João Bosco e Vinícius, que a Polícia Militar suspenda o fornecimento de energia elétrica do local:

“Não se estar aqui a olvidar que a Administração Municipal, por meio de eventos como esse esteja fomentando setor cultural e o lazer da população, incentivando o turismo e a economia local, gerando riquezas e benefícios ao comércio […]. O que está sendo questionando nos autos, não é o evento em si, mas a incompatibilidade do gasto pretendido pelo Município com a contratação de show artístico com as prioridades orçamentárias locais fundamentais e ligadas ao mínimo existencial”, argumenta o juiz na decisão divulgada pelo g1.