Início Notícias Sertanejas Cantora é ameaçada por fãs de Marília Mendonça após proibição do nome...

Cantora é ameaçada por fãs de Marília Mendonça após proibição do nome “As Patroas”

0
19
Daisy Soares foi ameaçada de morte após ganhar na justiça o direito de exclusividade sobre o nome
Daisy Soares foi ameaçada de morte após ganhar na justiça o direito de exclusividade sobre o nome "As Patroas"(Foto: Arte Movimento Country)

Os fãs de Marília Mendonça e Maiara e Maraisa não gostaram nada da proibição do uso do nome “As Patroas” e estão atacando a cantora Daisy Soares na internet

Recentemente, te informamos aqui no Movimento Country que Maiara e Maraisa estão proibidas de usar o nome “As Patroasnos seus projetos com Marília Mendonça após um processo judicial movido por Daisy Soares, que alega (e provou na Justiça) ser a criadora da marca, registrada em seu nome no INPI. O que ela não contava, no entanto, era com a revolta dos fãs das sertanejas, que tem vários projetos levando o nome.

Desde que a história explodiu na internet na última semana, Daisy vem sendo alvo de ataques do público que admira Maiara e Maraisa e Marília Mendonça. Além de comentários pejorativos e ameaças na internet como “tinha que ser baiana” e “ai se eu te encontro na rua”, a cantora contou ao jornal O Globo que a situação está fora de controle, tendo sobrado até para seus contratantes:

“Semana passada, tínhamos um show no shopping e os fãs ligaram para lá, começaram a ameaçar o shopping e a dizer para cancelar nosso show. O contratante me ligou desesperado para saber o que aconteceu e eu fiquei com medo de ter meus shows cancelados por conta das ameaças dos fãs. Eles estão furiosos, achando que eu estou as impedindo de usar uma marca que é delas. Eles dizem: ‘Não adianta colocar na Justiça porque você nunca vai ser patroa'”, conta.

Foi a partir de 2020 que Daisy começou a ter problema com a marca “As Patroas”, quando Marília Mendonça e Maiara e Maraisa começaram a usar de fato o nome em seus projetos. Como já era creditado por Daisy, a equipe das sertanejas começou a pressioná-la para ceder os direitos em um acordo:

“Eles sugeriram um apadrinhamento. Falaram: ‘Vamos fazer uma parceria, quem sabe um feat’. Tinha uma pressa muito grande para que eu assinasse e passasse o nome para eles, mas a nível de concreto, assinado, como seria essa parceria, não chegou para mim. Eu pedia uma proposta e eles ficavam me perguntando o que eu queria. Como se eu pudesse mensurar algo que para mim é tão importante. Não é sobre dinheiro. Não era minha intenção vender minha marca”, disparou.

“A sensação é como se eu tivesse adquirido um terreno, com a documentação toda certa desse terreno e de repente alguém achou interessante e começou a construir de uma forma tão absurda que a gente não tinha mais controle de como impedir aquilo”, desabafou Daisy na entrevista.

Maiara e Maraisa se calam perante a polêmica

Após a polêmica instaurada pela proibição do uso do nome “As Patroas”, a equipe do jornal Metrópoles entrou em contato com a equipe jurídica de Maiara e Maraisa e da Workshow, empresa que gerencia a sua carreira, para um posicionamento das gêmeas.

No entanto, alegaram que elas não teriam sido citadas/intimadas no processo judicial, portanto não teriam acesso ao mesmo e preferiram não se manifestar. A nota ainda defende o nome usado pelas sertanejas, alegando que “é titular da ‘Festa das Patroas’ desde 13/10/2015 , projeto este que já teve participação de Marília Mendonça e Maiara e Maraisa”.

“Ressaltamos que a empresa e a dupla sempre agiram com responsabilidade e prezam pela legalidade e o respeito à normas e marcas devidamente registradas. Toda e qualquer questão jurídica será devidamente tratada no processo em questão, tão logo as partes sejam citadas e intimadas a se manifestar”, encerra a nota.