Cidade investe R$ 40 milhões em obras para show de Gusttavo Lima em meio à investigação

0
14
Prefeitura investe R$ 40 milhões para show de Gusttavo Lima (Foto: Augustto Albuquerque)
Prefeitura investe R$ 40 milhões para show de Gusttavo Lima (Foto: Augustto Albuquerque)

Prefeito de São Luiz, no interior de Roraima, contratou Gusttavo Lima por R$ 800 mil e pretende investir 90% das verbas anuais da prefeitura em obras antes de receber o Embaixador na cidade

Um show do cantor sertanejo Gusttavo Lima na cidade de São Luiz, em Roraima, está gerando muita polêmica após o Ministério Público pedir o cancelamento devido aos altos gastos. No entanto, em meio à investigação do caso, o prefeito James Batista anunciou reformas na cidade para receber o show do cantor sertanejo, e o valor choca: serão gastos R$ 40 milhões aos cofres do município nas obras.

De acordo com o g1, o prefeito de São Luiz está organizando uma série de reformas na cidade, que devem ficar prontas antes do show de Gusttavo Lima na cidade. Em imagens divulgadas nas redes, nota-se uma grande semelhança no portal que será construído na entrada da cidade com a mansão faraônica do cantor sertanejo. O orçamento para essa obra é de R$ 2 milhões.

Veja uma foto:

(Foto: Divulgação/Prefeitura de São Luiz)
(Foto: Divulgação/Prefeitura de São Luiz)

 

Ao g1, o prefeito contou que a cidade passará por uma série de reformas, como melhorias no parque de vaquejada (onde será o show do cantor), pavimentação nas ruas e a criação de um novo bairro com 100 casas. Todas as obras tem previsão para gastarem R$ 40 milhões dos cofres da cidade.

No entanto, o valor absurdo para as obras equivale a 90% do orçamento anual da prefeitura, que é de R$ 44.291.173,14. Questionado sobre a origem do dinheiro, James Batista disse que o valor foi conquistado coma  ajuda de “convênios do Governo Federal”, sem dar detalhes de quais convênios seriam esses.

“Não queremos o usual, o comum. Qualidade de vida é a nossa meta. Atrair os olhos do estado para o potencial turístico que temos e para as características que nos são peculiares. Realmente acreditamos que podemos dinamizar a economia local em função do turismo. Pra isso é necessário intervir na infraestrutura da cidade, por isso as intervenções iniciais passam por essas ações estruturantes”, diz o prefeito se explicando das obras.

Para o prefeito, ainda, o show de Gusttavo Lima é “apenas a ponta do iceberg” do que a cidade pode oferecer. Vale ressaltar que São Luiz tem o segundo menor PIB do estado e este é o principal motivo para que o Ministério Público peça o cancelamento do evento com o cantor sertanejo.

“São Luiz será uma Ilha dentro do Estado em função das ações impactantes que implantaremos nos próximos meses. O show do Gusttavo Lima é só a ponta do iceberg”, diz James. Quanto à semelhança do portal de entrada com a mansão do cantor sertanejo, o prefeito diz ser “mera coincidência”.

Ministério Público pede o cancelamento do show do Embaixador

(Foto: Reprodução/YouTube)
(Foto: Reprodução/YouTube)

Ostentando o maior cachê sertanejo da atualidade, Gusttavo Lima fechou um contrato com a prefeitura da cidade para um show em dezembro. O valor do cachê, de R$ 800 mil, preocupa o Ministério Público de Roraima, já que o PIB do município de 8 mil habitantes é o segundo menor do estado.

Além do cantor sertanejo, estão previstos shows de César Menotti e Fabiano (R$ 150 mil) e Solange Almeida (R$ 108 mil), o que dá o total de R$ 1,05 milhão em gastos da prefeitura apenas com os cachês dos cantores.

Segundo informações do g1, o promotor Joaquim Eduardo dos Santos relata que o gasto da prefeitura com o valor milionário “não trará qualquer benefício à população, pelo contrário, o município terá a situação financeira agravada ainda mais e os serviços básicos serão privados de uma verba que poderia ajudar a melhoria da situação da população.”

O prefeito de São Luiz, por sua vez, defende a contratação de Gusttavo Lima e os outros sertanejos e destaca o fluxo econômico e turismo que as atrações trarão para a cidade, especialmente nos restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis e vendedores autônomos.

Por outro lado, o Ministério Público diz que a cidade tem melhorias para serem feitas na saúde e abastecimento de água, e que os gastos exorbitantes com o evento poderiam ser usados em outras áreas. A solicitação de cancelamento foi enviada à Justiça e deve ser analisada nas próximas semanas.