Início Notícias Sertanejas Chitãozinho e Xororó detonam sertanejos que cobram cachês milionários: “Não tem cabimento”

Chitãozinho e Xororó detonam sertanejos que cobram cachês milionários: “Não tem cabimento”

0
Chitãozinho e Xororó detonam sertanejos que cobram cachês milionários (Foto: Reprodução/Internet)
Chitãozinho e Xororó detonam sertanejos que cobram cachês milionários (Foto: Reprodução/Internet)

A CPI do Sertanejo voltou a ser assunto e Chitãozinho e Xororó deram sua opinião sobre os cachês absurdos cobrados por cantores sertanejos

Chitãozinho e Xororó são uma das duplas sertanejas que mais venderam discos na história da música nacional e estão completando 50 anos de carreira em 2022. Tal comemoração especial contou com uma turnê grandiosa pelos Estados Unidos com a participação de Sandy, Junior Lima e Luan Santana.

Tantos anos de carreira deram a Chitãozinho e Xororó muito prestígio e lucros milionários com vendas de discos, peças publicitárias e turnês, mas a fama parece não subir à cabeça dos irmãos de Astorga, que fazem questão de negar contratos de shows com cachês extraordinários.

O assunto foi abordado durante uma entrevista da dupla sertaneja à Folha de S. Paulo. Chitãozinho e Xororó criticaram os sertanejos e contratantes que aceitam receber e pagar quantias milionárias por shows, especialmente em cidades do interior onde, na maior parte das vezes, as verbas destinadas a pagar tais cachês são tiradas de áreas como saúde e educação.

“As coisas tem que ser às claras. Não tem lógica, não tem cabimento nem o prefeito fazer isso nem o artista receber, mas cada um é cada um. A gente se preocupa muito com isso. Estamos aqui há mais de 50 anos e não é a toa”, detonou a dupla sertaneja.

Entre os sertanejos que se destacam com cachês superfaturados estão Gusttavo Lima, Zé Neto e Cristiano e vários outros, que são alvo direto da chamada CPI do Sertanejo, uma onda de investigações que apura o recebimento de dinheiros ilícitos na contratação de shows pelo Brasil.

Leia também:

Gusttavo Lima pode ter show de R$ 800 mil cancelado

(Foto: Reprodução YouTube)

Mais um capítulo da CPI do Sertanejo está entre nós. Após uma onda de cancelamento de shows, investigações da Justiça e polêmicas, Gusttavo Lima voltou a ser alvo do Ministério Público, dessa vez por causa de um show com cachê de R$ 800 mil na cidade de São Luiz, em Roraima.

Ostentando o maior cachê sertanejo da atualidade, Gusttavo Lima fechou um contrato com a prefeitura da cidade para um show em dezembro. O valor do cachê, de R$ 800 mil, preocupa o Ministério Público de Roraima, já que o PIB do município de 8 mil habitantes é o segundo menor do estado.

Além do cantor sertanejo, estão previstos shows de César Menotti e Fabiano (R$ 150 mil) e Solange Almeida (R$ 108 mil), o que dá o total de R$ 1,05 milhão em gastos da prefeitura apenas com os cachês dos cantores.

Segundo informações do g1, o promotor Joaquim Eduardo dos Santos relata que o gasto da prefeitura com o valor milionário “não trará qualquer benefício à população, pelo contrário, o município terá a situação financeira agravada ainda mais e os serviços básicos serão privados de uma verba que poderia ajudar a melhoria da situação da população.”

O prefeito de São Luiz, por sua vez, defende a contratação de Gusttavo Lima e os outros sertanejos e destaca o fluxo econômico e turismo que as atrações trarão para a cidade, especialmente nos restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis e vendedores autônomos.

Por outro lado, o Ministério Público diz que a cidade tem melhorias para serem feitas na saúde e abastecimento de água, e que os gastos exorbitantes com o evento poderiam ser usados em outras áreas. A solicitação de cancelamento foi enviada à Justiça e deve ser analisada nas próximas semanas.

Gusttavo Lima e sua equipe não se pronunciaram sobre o assunto.

Sair da versão mobile