Manoel Poladian alfineta Gusttavo Lima e acusa sertanejos de investirem fortunas para aparecer na mídia

Maior empresário do show business no Brasil, Manoel Poladian afirma que sertanejos “blefam” e investem para se aparecer na mídia

Recentemente, muito se fala dos números incríveis e carreiras brilhantes de grandes cantores, sobretudo, sertanejos. Com o anúncio de uma turnê nos Estados Unidos e a venda de shows de Gusttavo Lima por R$100 milhões, o músico se enquadra dentre os artistas que segundo Manoel Poladian, o maior empresário de show business do país, aumentam a importância de algumas ocasiões da própria carreira para terem um espaço precioso garantido na mídia.

Em entrevista ao Podcast Enterhits para o radialista Enio Silveiro e o produtor musical Reinaldo Barriga, ele que trabalhou com grandes nomes como Elis Regina e Ney Matogrosso, opinou sobre os últimos anúncios da carreira Gusttavo Lima ao ser questionado por Enio e afirmou que “há muito blefe” hoje em dia.

Assuntos Relacionados 

“Hoje eu ponho em dúvida essas compras, sobretudo de um fundo que não tem interesse profissional, e neste meio a coisa é um pouco mais informal do que o fundo necessita. Há muito blefe no mercado hoje, sobretudo no sertanejo, em que se blefam patrocínios e outras ações para poder aparecer na mídia”, declarou Manoel Poladian.

Confira o vídeo completo no canal do Enterhits no Youtube:

Sertanejos investem em turnês internacionais

(Foto: Érico Andrade/G1)
(Foto: Érico Andrade/G1)

Mesmo com os patrocínios das lives sertanejas apresentadas nesse ano por alguns sertanejos como Marília Mendonça, Leonardo, Gusttavo Lima e Eduardo Costa, ainda é um obstáculo substituir os eventos presenciais pelas transmissões ao vivo. O faturamento de uma agenda fechada de shows ultrapassa o lucro com as apresentações online, motivando os artistas a expandirem seus trabalhos na música e levarem o estilo sertanejo para fora do país.

Com o agravamento da pandemia, diversos artistas brasileiros tiveram que se adaptar de forma que garantissem que os projetos musicais dessem continuidade, principalmente para não contraírem uma crise financeira. Foi o caso de Gusttavo Lima, Marília Mendonça, Israel e Rodolffo, Zé Neto e Cristiano e Jorge e Mateus.

Os sertanejos enxergaram na turnê internacional, a chance de se consolidarem financeiramente e dar maior visibilidade à carreira dentro da música sertaneja no âmbito mundial. Com o Brasil sem previsão de retorno com os shows, os artistas se preparam para se apresentarem no exterior ainda este ano.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais