Sandra Jimenez, diretora do YouTube, revela como fazer as melhores lives sertanejas

0 59

Depois do sucesso das lives sertanejas, Sandra Jimenez, diretora de parcerias musicais do YouTube para América Latina, respondeu algumas perguntas frequentes sobre as transmissões, feitas por usuários da plataforma.

As Lives Sertanejas, fenômeno em todo o Brasil, tem ganhado proporções incríveis a cada dia. Com nomes como Gusttavo Lima e Marília Mendonça sendo grandes recordistas de visualizações, os projetos, que são transmitidos pelo YouTube, servem para arrecadar ajuda para as vítimas da pandemia de coronavírus no país.
Com o aumento do número das transmissões, que acontecem diariamente, também aumentaram as dúvidas sobre o projeto. Quanto à isso, Sandra Jimenez respondeu algumas perguntas frequentes entre usuários do YouTube.
O fenômeno, que acontece com mais força no Brasil, não é novo: segundo Sandra, “as lives no YouTube já eram populares em conteúdos como games e esportes. Durante a pandemia, os cantores se voltaram para esse recurso com maior intensidade para se conectarem com seu público e também com novas audiências. Tem sido uma oportunidade de levar entretenimento de graça para quem está em casa e também gerar receita para os músicos.”
Uma das maiores dúvidas é quanto à disponibilização das lives no canal dos artistas após a transmissão, já que, muitas vezes, os vídeos somem do canal sem aviso prévio: “Um vídeo pode ficar indisponível no YouTube por diversos motivos. Quando um conteúdo que infringe as nossas políticas é removido, exibimos em seu lugar a mensagem: ‘Este vídeo foi removido por violar as diretrizes da comunidade do YouTube’. Além disso, o  próprio artista pode escolher não compartilhar mais o conteúdo ou deixá-lo em modo privado.”

Leia também:

Regras e Ações do YouTube

(Foto: Reprodução)

Uma grande polêmica nas lives sertanejas é sobre a política de regras do YouTube, que sempre tenta proporcionar conteúdo de qualidade e conforto para todos os públicos que estão assistindo. Recentemente, o cantor Gusttavo Lima se envolveu em uma polêmica com o CONAR (Conselho Nacional Auto Regulamentação Publicitária) após consumir bebidas alcoólicas em sua live sertaneja sem fazer restrição de idade.

Sandra ainda respondeu duas perguntas importantes sobre as lives que vem acontecendo no Youtube:

  • O YouTube cobra algo dos músicos pelas transmissões?

“Não, pelo contrário. O YouTube é uma ferramenta poderosa para que os artistas se conectem com seu público, gerando alto engajamento, especialmente nesse momento que estamos vivendo. Também oferece diversas formas de geração de receita. Se o canal estiver habilitado para a exibição de anúncios, o  dono do canal pode ganhar dinheiro com a monetização do conteúdo e com outras fontes de rendimento. O artista e/ou sua gravadora também pode participar de projetos patrocinados em parceria com o YouTube ou fechar patrocínios diretos com marcas para serem exibidas dentro do conteúdo.”

  • Você acredita que esse formato vai continuar existindo com tanta força depois que a quarentena acabar e os shows voltarem a acontecer?

“As lives mostraram que existe um apetite grande dos fãs por conteúdo ao vivo na internet. Ainda mais por um conteúdo que mostra o artista em um ambiente descontraído e com atmosfera íntima. Para fãs que não têm recursos financeiros ou que moram em cidades fora do circuito de shows, é uma chance única de ver seu artista favorito.”

– Siga o Movimento Country: Google News | Instagram | Twitter | YouTube | Facebook

Sucesso das Lives Sertanejas e Programação de Junho

As lives sertanejas são as mais populares do momento. Estando em peso na lista das mais assistidas de todo o mundo no YouTube, são importantes para a interação entre público e artista em tempos de pandemia mundial. Além do sucesso estrondoso e interação com os fãs, os artistas arrecadam milhares de doações para pessoas que necessitam de ajuda nesse período. Para o mês de junho, a programação está quente: nova live de Gustavo Mioto, Luan Santana e mais.

Deixe uma resposta