Greve no Judiciário trava intimação do motorista de Cristiano Araújo

Mais de um mês após a Justiça receber a denúncia sobre o acidente que matou o cantor Cristiano Araújo, o motorista Ronaldo Miranda Ribeiro, de 41 anos, que conduzia o veículo, ainda não foi intimado a apresentar sua defesa.

Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), a notificação, por meio de carta precatória, não pôde ser feita em função da greve dos servidores do Poder Judiciário, iniciada no último dia 24.
O motorista foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), no último dia 21de setembro, por duplo homicídio culposo, quando não há intenção de matar, pelas mortes de Cristiano Araujo, e da namorada dele, Allana Moraes. Ele conduzia o veículo no momento do acidente, no dia 24 de junho, em Morrinhos, quando voltavam para Goiânia após um show em Itumbiara.

Na ocasião, Ronaldo e um empresário do músico, Vitor Leonardo, também ficaram feridos, mas deixaram o hospital dias depois.

O juiz Diego Custódio Borges, da Comarca de Morrinhos, recebeu a denúncia no último dia 23 de setembro e enviou para a escrivania o pedido para intimação do motorista, via carta precatória, já que ele mora na capital.
Segundo o TJ-GO, o documento chegou a ser redigido, no entanto, ainda não foi enviado ao motorista por causa da greve dos servidores. O órgão ressaltou que, assim que a paralisação for encerrada, o documento deve ter andamento.

Comentários