Goiânia quer ter um feriado para homenagear Gusttavo Lima

A proposta de um vereador pede a inclusão de um feriado municipal com direito a show para homenagear Gusttavo Lima

Gusttavo Lima pode ganhar um feriado para “chamar de seu”.  É que o vereador Welington Peixoto (MDB/GO) apresentou um Projeto de Lei na Câmara Municipal de Goiânia pedindo a inclusão do show “Buteco do Gusttavo Lima” no Calendário Oficial de Eventos da cidade.

VEJA TAMBÉM: Xand Avião é condenado à pagar indenização para fã

O vereador justificativa que este feriado acompanhado de um evento com Gusttavo Lima irá valorizar a cultura o Estado e a música sertaneja, que pertence à raiz cultural de Goiás.

Segundo a proposta, o evento reúne outros artistas renomados e teve um público de 50 mil pessoas em 2019, merece incentivo e reconhecimento. “Promove a geração de empregos e arrecadação de impostos movimentando a economia local”, explica Welington.

Gusttavo Lima já esteve em Goiânia no dia 29 de setembro de 2019, no estacionamento do estádio Serra Dourada. O projeto começou a circular na Câmara no dia 8 de outubro.

Gusttavo Lima tem o maior cachê do Brasil

Gusttavo Lima que acaba de lançar seu novo álbum “Embaixador em Cariri”realizou uma tunrnê pelas cidades de Atlanta, Miami, Newark e Boston, onde lucrou mais de R$ 1 milhão de dólares, cerca de R$ 4 milhões, em apenas cinco apresentações, que tiveram média de público de 20 mil pessoas, cada. Segundo o Blog do Leo Dias, o “Embaixador”, como é conhecido, fará seu próximo DVD na tradicional casa Madison Square Garden, em Nova York, em 2020. 

Em meados de agosto, Gusttavo que é dono de um dos maiores cachês sertanejos do Brasil  anunciou, durante o encerramento do seu show na Festa do Peão de Barretos, em São Paulo, redução na agenda de compromissos em 2020. Com uma frequência de 25 a 30 shows por mês, o sertanejo quer fazer apenas 15. “A partir de 2020 eu vou dar uma parada na minha agenda, uma reduzida no número de shows. Vou fazer 10, 12 shows por mês, para dar atenção para o que mais significa na minha vida depois de deles. Meus filhos já estão com 1 e 2 anos. Nem tudo na vida é trabalho, é dinheiro. Chegou a hora de dar uma acalmada”, explicou.

Comentários