Cantor sertanejo Kleber, da dupla Kleber e Kaue, morre de Covid-19

Intubado desde maio, cantor Kleber, da dupla Kleber e Kaue, tinha 37 anos e estava internado no Hospital Estadual de Américo Brasiliense

Kleber Oliveira, mais conhecido como um integrante da dupla sertaneja Kleber e Kaue, morreu nesta segunda-feira (05) no Hospital Estadual de Américo Brasiliense (HEAB), onde foi internado e estava intubado desde maio. Ele tinha 37 anos e mantinha desde 2011 a parceria musical com Kaue Tamburus, de Ribeirão Preto (SP).

A empresa responsável por agenciar a carreira de Kleber e Kaue, Galdencio Produções, comunicou o falecimento e lamentou a morte do artista através das redes: “É com grande pesar que recebemos a noticia do falecimento de Kleber Oliveira, conhecido como Klebinho (Kleber e Kaue). Nossos mais profundos sentimentos aos amigos e toda a família do artista”.

O corpo do músico será enterrado na tarde desta terça-feira (06) em Araraquara (SP), onde ele nasceu. O velório terá início às 13h30 e o sepultamento está previsto para 16h30 no Cemitério das Cruzes.

Assuntos Relacionados 

Kleber era casado e deixa uma filha de 6 anos. Com sua dupla musical, ele emplacou sucessos nas paradas sertanejas como “Tô Vendo Que Você Tá Bem”, “Troféu Solidão” e “Ela Não É Você”.

Morte de Gabriel Diniz quase fez Wesley Safadão encerrar a carreira

(Foto: Internet)
(Foto: Internet)

Cantor Wesley Safadão, que fez um lançamento recente ao lado de Israel e Rodolffo, concedeu uma entrevista reveladora em que contou sobre o drama que viveu com a morte de um de seus grandes amigos da vida pessoal e musical, Gabriel Diniz, que aconteceu há dois anos após um trágico acidente aéreo.

O ‘GD’ como ficou conhecido em todo país após o hit que invadiu todas as paradas, “Jenifer”, quase levou Safadão a parar de cantar. Em conversa com o colunista Leo Dias, o sertanejo afirmou que ficou muito abalado e reuniu as pessoas mais próximas e importantes para anunciar que encerraria a carreira.

“Depois que a morte ocorreu, reuni minha mãe, meu primo e meu tio. Botei os pés na mesa e disse: ‘Não estou feliz. Vou parar de cantar’. Não queria mais sair de casa e começaram a me dar férias, algo que eu não estava acostumado, e reduziram os meus shows”, contou o músico que também estava em alta naquele ano.

Apesar da dor, Wesley Safadão prosseguiu com a música e com a saudade de Gabriel Diniz, que recentemente teve relançamento póstumo criticado por produtor que enxergou a forma de homenagem como “oportunismo”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais