Eduardo Costa é criticado após anunciar apoio à Bolsonaro

Tempo de leitura: 2 minutos

O cantor Eduardo Costa acaba de se envolver em mais uma polêmica. Desta vez, ela envolve o candidato Jair Bolsonaro, que disputa as eleições para Presidente do Brasil.

A polêmica começou, quando Eduardo Costa posou para uma foto usando uma camiseta com a palavra “Bolsonaros”.

Na legenda, ele escreveu “Tarde meu povo… e aí, bão? #17”. Isso foi o suficiente para que a publicação fosse tomada pelas críticas e para que ele fosse escrachado em todas as redes sociais. “Decepcionada! Um artista como você apoiar uma pessoa que prega ódio e violência…”, lamentou uma fã.

“Ridículo, votar em um cara que nunca fez nada, parasita corrupto”, disparou outro nos comentários da foto. “Justo você??? Apoiar um lixo daquele que trata mulher como nada?????!! #nojo”, disse mais uma. Apesar disso, ele também teve o apoio de muitos artistas.

Geraldo Luís, da Record, por exemplo, curtiu a publicação, assim como a atriz Andréa Nóbrega, ex-esposa de Carlos Alberto de Nóbrega. O próprio Bolsonaro também escreveu um comentário de agradecimento.

Mas no seu stories do seu perfil, Eduardo Costa disse que apoiou Aécio e se decepcionou. Agora, ele declara: “Gosto do Bolsonaro, gosto das propostas, do jeito dele, da garra dele, da força dele. Aconselho meus fãs: procure votar em gente nova”.

Sertanejo responde processo por estelionato

Eduardo Costa também é investigado por estelionato por causa de uma transação imobiliária. Segundo a investigação, o sertanejo teria negociado com um casal, em 2015, a troca de um imóvel de sua propriedade localizado em Escarpas do Lago, na cidade de Capitólio, no valor aproximado de R$ 6 milhões, por outro localizado na região da Pampulha, em Belo Horizonte, de propriedade do casal, cujo valor seria de R$ 9 milhões.

Mas o principal problema, conforme o advogado do casal, Arnaldo Soares Alves, é que o cantor não teria informado na negociação que o imóvel de Furnas estaria com embargos ambientais por ter parte construída sob área de proteção ambiental.

Em julho deste ano, Eduardo Costa prestou depoimento na sede do Departamento Estadual de Investigação de Fraudes, em BH, para falar sobre a suspeita de estelionato.

Mas na ocasião, o cantor negou o crime. O músico garante que jamais teve a intenção de prejudicar qualquer pessoa. “Inclusive, quando comprei a casa esse imóvel já existia. Era algo que estava claro para todos durante a negociação”, afirmou.

Responsável pela investigação, o delegado Vinícius Dias declarou que ainda não há provas para apontar que Eduardo Costa tenha cometido o crime de estelionato.

Outra polêmica envolve os R$ 3 milhões faltantes na troca dos imóveis.

Eduardo Costa teria oferecido uma Ferrari, uma lancha e uma moto aquática. Os dois últimos bens, contudo, não foram transferidos para o casal, conforme o advogado Arnaldo Soares. Além disso, a Ferrari, avaliada em R$ 1,1 milhão foi vendida para o cantor Marrone, que faz dupla com Bruno, por um valor inferior: R$ 800 mil.

BolsonarocríticasEduardo CostaEstelionato
Comentários (0)
Adicione seu comentário