Resgate da cultura boiadeira vira espetáculos que serão apresentados na Festa do Peão de Barretos

0
24

Aberturas temáticas do Barretos International Rodeo reúnem crianças, competidores e comitivas na arena do Parque do Peão em uma grande celebração à história do evento.

“Um povo sem memória é um povo sem história”. A célebre frase da historiadora e professora Emília Viotti da Costa é levada a sério pela organização da Festa do Peão de Barretos. Evento considerado o maior do gênero na América Latina, chega à sua 62ª edição, e acontece de 17 a 27 de agosto no município localizado no interior de São Paulo (428 quilômetros da capital paulista). A cultura sertaneja é mantida e relembrada em diversos momentos da programação da Festa e este ano a celebração das memórias ganhou ainda mais espaço.

A cada ano um espetáculo artístico é criado para a abertura do Barretos International Rodeo, competição que reúne os melhores competidores do Brasil e também as grandes estrelas do rodeio internacional em quatro dias de montarias – de 24 a 27 de agosto. E, para 2017, os organizadores prepararam um espetáculo que resgata as tradições caipiras e ressalta a importância da nova geração para a manutenção da história.

Na quinta-feira, dia 24, crianças com idades entre 6 e 11 anos serão os responsáveis pela abertura. Mais de 50 pequenos artistas compõem o grupo que contêm berranteiros, grupo de catira, comitiva de queima do alho, orquestra de violeiros, cantores sertanejos e também competidores de rodeio em carneiros (a modalidade infantil disputada na Festa). “Será uma grande comemoração da nossa tradição em uma apresentação que promete emocionar o público presente”, declarou Hussein Gemha Junior, presidente da Associação Os Independentes, organizadora da Festa.

Na sexta-feira, dia 25, o tema será a superação contado pelo Cavaleiro das Américas Filipe Leite, jornalista que já cruzou três continentes a cavalo (do Canadá ao Brasil) e ainda viajou de Barretos até Ushuaia, na Patagônia, também chamada de “o fim do mundo”. Junto com ele estarão na arena os competidores que a cada montaria, que dura apenas 8 segundos, superam medos e dificuldades em busca do sonho de ser campeão. Crianças em tratamento no Hospital do Câncer de Barretos e que já venceram a doença farão uma apresentação musical durante o espetáculo de abertura.

Fechando a programação, no sábado, dia 26, um pedaço da história do Brasil será contado na arena de rodeio. Uma comitiva, formada por 20 boiadeiros e 35 animais, representará os peões que cruzavam o país levando as boiadas para os frigoríficos localizados em cidades do interior, incluindo Barretos, daí a origem da Festa do Peão. “Estamos ansiosos por este momento e temos certeza que o público irá se encantar ao ver tantas gerações envolvidas na realização desta bela homenagem aos nossos pioneiros que são a nossa maior inspiração. O segredo hoje do nosso evento é não deixar morrer essa cultura, mesmo agregando novas propostas à programação”, afirma o presidente.