Sem categoria

Montarias perfeitas e altas notas no internacional

A noite de sexta feira, no Barretão, foi marcada por muitas competições, montarias perfeitas e notas altas.


Competidores do Brasil inteiro seguem na disputa por um lugar ao pódio do 18º Barretos International Rodeo. Enquanto uns correm contra o relógio, tentando conseguir realizar as provas cronometradas no menor tempo possível, outros enfrentam touros e cavalos na busca da perfeita montaria e da maior nota, onde a imprevisibilidade está sempre presente.
A segunda noite do Barretos International Rodeo teve montarias em touros e em cavalos nos estilos Cutiano, Sela Americana e Bareback, além das provas de Bulldog, Tês Tambores e Team Penning. 
No Bulldog, a prova mais radical do rodeio brasileiro, o menor tempo da noite, 4,58 segundos, foi do mineiro de Divinópolis, Nivio Alves Daldegan. Na final de domingo, apenas três competidores disputarão o título de campeão 2010.

Na Sela Americana, a modalidade mais antiga do rodeio americano e que chegou ao Brasil em 1996, Leandro Baldissera, de Capão Bonito (SP), conquistou a maior nota da noite, 82 pontos, apenas meio ponto a mais do que o segundo colocado, José Antônio Fazion, de Pirajuí (SP), que conquistou 81,50 pontos. 
Já no Bareback, a maior nota foi do competidor que representa a cidade de São Paulo, Luiz Carlos Moreira, com 81 pontos. 
No Cutiano, a modalidade genuinamente brasileira, a maior nota da noite foi do competidor de Riolândia (SP), Adriano Aparecido Batista Parreira. Ele conquistou 89 pontos, montado a égua Fronteira do tropeiro Zé Ricardo. Em segundo lugar ficou o paulista de Taquarituba, Roberto Ferreira de Souza, com 88 pontos. Ele montou o animal Comentário da Companhia Vale da Piedade. Na terceira posição, com 87,50 pontos, ficou o mineiro de Frutal, Arnaldo Gomes da Silva, o Abacaxi, como é conhecido no mundo do rodeio. Ele montou o animal Carioca do plantel do Dito Soncino. Abacaxi foi o campeão do rodeio internacional de Barretos em 2005. 
No Team Penning, considerada a prova da família, o trio que carimbou o passaporte para a final de domingo com o tempo de 21,915 segundos foi composto pelos paulistas Lucas Santana Hisbeck, Luiz Augusto Ribeiro Tranquillini e Guilherme Brisighello Neto. Eles competem há cinco anos e já ocuparam a 3º e 4º posição em Barretos.
Na prova de Três Tambores, exclusiva para mulheres, a competidora de Tietê (SP), Caroline Escomparim Rugolo, contornou os três tambores no menor tempo da noite, 18,15 segundos. 
Na montaria em touros, competição vedete da noite, a maior pontuação, 92,5 pontos, foi do representante de Analândia (SP), Edson Barbosa da Silva, o \”Tiquinho\”, que montou o touro Pesadelo, da Companhia 3B/Bentinho. Tanto o competidor como o touro estão numa ótima fase. Pesadelo é um dos animais mais temidos da atualidade e seu nome já virou grife, com direito a assessoria própria. Já o competidor, que tem 31 anos de idade e dez de rodeio, está pela segunda vez em Barretos, teve a sorte de tirar um bom touro e manter o equilíbrio em seu lombo. 
Tiquinho já foi, dentre outros, além de campeão, vice de Americana e Jaguariúna. Em seu currículo constam 14 motos e um carro.
A noite foi marcada por altas notas e, como diz o comentarista Cacá de Barretos, \”com alto índice de colesterol\”. A segunda maior nota de montaria em touros foi conquistada pelo representante de Caxias do Sul (RS), Alex Trindade Nascimento, que conseguiu 91,25 pontos; seguido pelo competidor de Vargem Grande do Sul (SP), Júlio César Ribeiro, com 90,25 pontos. 

MUNDIALITO DE TRÊS TAMBORES
Também na sexta-feira teve início o Mundialito de Três Tambores – o 3º Brazilian Open Championship, onde dez duplas de países diferentes mostraram as suas habilidades na arena do maior rodeio da América Latina. Neste início de competição, a dupla da Argentina, formada por Marcelo Medeiros e Luis Antônio Chicon saiu a frente com o tempo de 38,407 segundos.
Na segunda posição, ficou a dupla dos Estados Unidos formada por Chad Crider e Scott Brown e, na terceira, o Brasil com a dupla formada por Rafaela Laturraghe e Ronildo Moraes, que conseguiu o tempo de 39,294segundos.
Até a final, que será realizada no domingo, cada país terá direito a duas passadas por noite. Os animais serão sorteados, tendo o competidor o tempo de cinco minutos para o reconhecimento. Esta é a terceira vez que o Open Championship acontece no Brasil. A primeira foi em Jaguariúna e a segunda em Porto Feliz. As próximas etapas serão nos Estados Unidos e na Itália.

About the author

Hedmilton Rodrigues

Sócio Fundador do portal Movimento Country, no ar desde 19 de setembro de 1999.

Add Comment

Click here to post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *