Uma cantora de Cuiabá ingressou com uma ação de indenização por danos morais e materiais contra o espólio do cantor Cristiano Araújo, falecido em 2015, pedindo R$ 2 milhões por suposto plágio.

Também figuram no polo passivo da ação os cantores Gabriel Agra e Danilo Dávilla e o produtor musical Eduardo Borges, conhecido como Dudu Borges.

O processo tramita na 8ª Vara Cível e o juiz em substituição Yale Sabo Mendes deu um prazo de 15 dias, para que a cantora prove não possuir condições financeiras para arcar com as custas processuais, uma vez que requereu Justiça Gratuita.

O despacho será publicado no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) que circulou nesta terça-feira (4), de acordo com o andamento processual disponível na internet.

Entenda o caso

De acordo com a inicial, a autora é cantora e compositora conhecida nos programas de rádio e televisão locais. Enfatizou ser praxe entre os compositores, após compor suas músicas enviá-las a vários produtores musicais no intuito de vendê-las a algum interprete conhecido, auferindo lucro com sua reprodução.

Narra que em setembro de 2014, enviou por e-mail uma música de sua autoria registrada com o nome “Vai Doer” ao Dudu Borges, conhecido à época, por ser produtor do cantor Cristiano Araújo, mas este não demonstrou interesse.

No mês de junho passado, a cantora narra que ao assistir o programa Fantástico, da Rede Globo, se deparou com a divulgação de um tributo feito ao cantor falecido, no qual a empresa que o representa divulgou músicas até então inéditas, gravadas pouco antes de seu falecimento. Houve ainda a divulgação do lançamento futuro de um novo CD, com as novas músicas, incluindo “Vai Doer”.

“Ao assistir o clipe e ouvir a música no referido programa televisivo, a autora ficou espantada. Além de nome idêntico (Vai Doer), notou que vários trechos de sua melodia foram copiados. Introdução e refrão são idênticos, apesar de a letra ter sido alterada. Após a exibição do programa, a autora teve a certeza de que era vítima de plágio. Isso porque, como relatado, em 2014 havia enviado a música ao então produtor (Eduardo Borges) do falecido cantor Cristiano Araújo, que a época não havia demonstrado interesse”, diz um trecho da inicial.

A jovem argumentou ainda que a empresa JB Assessoria, que tem como sócio o pai de Cristiano e Rafael Vanucci, e administra os bens do cantor falecido tem auferido lucro milionário com a divulgação e reprodução da música, tendo ela nada recebido.

Ameaças e agressões

A cantora destacou ainda que ao externar sua indignação nas redes sociais, logo após a reportagem, sofreu agressões e ameaças dos fãs de Cristiano Araújo. O seu perfil no Facebook foi invadido e várias mensagens de ódio foram nele postadas, o que gerou um transtorno e a jovem teve que se ausentar da mídia até que tudo cessasse.

Nova autoria

Ao pesquisar sobre o assunto, a cantora descobriu que a dupla Gabriel Agra e Danilo Dávilla assumiram a autoria da composição em sites especializados de música e nas redes sociais. No entanto, há relatos que a composição teria sido encomendada por Cristino Araújo.

Gravação sem autorização

Ainda na inicial, a cantora lembrou que essa não é a primeira vez em que o cantor falecido teria se envolvido com uma situação de plágio e citou que em 2011, a dupla Bruno Camacho e Fabiano mostraram uma música que ainda não haviam registrado aos produtores do cantor, que a gravaram sem autorização judicial.

O caso está judicializado na 9ª Vara Cível de Goiânia.

Liminar

Na ação, a defesa da cantora requereu liminarmente a suspensão da veiculação da música “Vai Doer” em todo os canais de rádio, televisão e internet, que tem como interprete Cristiano Araújo, produção de Eduardo Borges e composição de Gabriel Agra e Danilo Dávilla, com fixação de multa no valor de R$ 10 mil, em caso de descumprimento.

No mérito, a jovem pediu a indenização no valor de R$ 2 milhões e que a autoria da melodia e trechos da letra da música sejam atribuídos a sua pessoa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here